ESTATUTO DA SEGURANÇA PRIVADA: Investe no Conhecimento.

O estatuto da segurança privada está com um novo projeto de lei (PL n. 4.238/12) já aprovado pela Câmara dos Deputados, que visa regulamentar o setor criando instrumentos eficazes de fiscalização.

O setor de segurança privado merece um novo tratamento legislativo, dados do Estudo do Setor de Segurança – V ESSEG (2016), da Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores – FENAVIST, comprovam que mais de 668 mil agentes de segurança privada são hoje responsáveis pela execução dos serviços de proteção do patrimônio físico das diversas instalações empresariais, residenciais e condominiais, o transporte de cargas nos seus diversos modais, proteção de executivos e, por vezes, de seus familiares.

Existe um número efetivo de pessoas que estão trabalhando de maneira irregular, o número atinge cerca de 1,5 milhões de pessoas, que ao serem auxiliadas pela nova legislação irão proporcionar um aumento na arrecadação de encargos sociais.

O novo projeto de lei traz classificação profissional para todos que atuam neste segmento, aumentando o grau de escolaridade e criando novos cargos que poderão ser responsáveis pela gestão e execução dos serviços de segurança. A mudança é decorrente da necessidade de maior qualificação profissional na área, o que estimula a busca por conhecimento e garante ao profissional melhores postos de trabalho, remuneração e empregabilidade. Um exemplo disso é o cargo de Gestor de Segurança Privada, o profissional deverá possuir nível superior cursado em faculdades ou pós-graduação na área de segurança empresarial ou equivalente. O Gestor será responsável pela realização de planejamento e projetos de segurança, administração ou gerências de empresas de segurança privada.

As falhas na segurança pública que afeta drasticamente a sociedade brasileira é fruto da ausência de inovação e qualificação de seus agentes. Estas falhas estão sendo substituídas por empresas e trabalhadores privados que contribuem para o desenvolvimento local e merecem uma representatividade legal, e agora graças ao Estatuto da Segurança Privada, podem ter melhorias para continuarem crescendo no mercado. (Comunicação Office Segurança)